Apadrinhamento

Você já pensou na possibilidade de ser referência na vida de alguém?

ARTE.png
ARTE (1).png

O que é o apadrinhamento?

   O Programa é uma iniciativa da Prefeitura de Juiz de Fora, em parceria com a AACI, voltado para o trabalho com crianças e adolescentes em situação de abrigamento com situação jurídica definida (destituição de poder familiar) ou após seis meses sem possibilidade de reinserção familiar. O público prioritário do Programa são crianças com deficiência a partir dos 4 anos de idade e crianças sem deficiência a partir dos 07 anos. O objetivo é a promoção vínculos afetivos seguros e duradouros entre essas crianças/adolescentes e pessoas da comunidade que se dispõem a ser padrinhos e madrinhas. Neste sentido contribuir para a vivência de vinculação afetiva com um grupo familiar, favorecendo o sentimento de “pertencimento” e estabilidades afetiva e emocional.

   O Apadrinhamento traz como missão atender as necessidades emocionais e materiais de crianças e adolescentes, contribuindo para o seu desenvolvimento nos aspectos social, moral, físico, cognitivo, educacional e financeiro. Todos esses cuidados, visando consolidar laços afetivos que darão suporte emocional futuro a elas após o seu desligamento da instituição de acolhimento

 

O que faz um padrinho/madrinha?

   Os padrinhos e madrinhas são pessoas que vão construir um vínculo afetivo, duradouro junto dessas crianças e adolescentes. Ou seja, serão protagonistas da construção de laços afetivos e contribuirão para o desenvolvimento de convivência familiar e comunitária.

   É necessário criar uma base para uma convivência afetiva e que esta possa os auxiliar a sentirem-se seguros, protegidos, pela criação de laços de amor, carinho e confiança, e assim terem referências familiares, importantes para a estruturação da personalidade, identidade e construção de autoestima positiva, pois crianças e adolescentes com referências claras e concretas tornam-se adultos conscientes e preparados para a vida.

 
Secretaria Especial de Direitos Humanos - SEDH.png